Comenda 2 de Julho: Fátima Nunes indica medalha para Naidison Quintella Baptista

O Projeto de Resolução de autoria da deputada estadual Fátima Nunes (PT), que concede a Comenda 2 de Julho, uma das maiores honrarias concedidas pelo Legislativo estadual,  ao teólogo Naidison de Quintella Baptista, foi aprovado nesta terça-feira (28), no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). Com 30 votos a favor, deputados e deputadas, consideraram importante a entrega da medalha de maior honraria da Casa ao cidadão feirense que muito fez e faz pelo semiárido baiano.

“Naidison é um grande militante das causas sociais, fundador da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e coordenador da primeira unidade gestora do programa um milhão de cisterna. Apesar de residir em Feira de Santana, atua em todo o estado da Bahia. Recentemente, quando o Programa Cisternas recebeu a premiação na China, o mesmo esteve presente para participar deste momento tão importante para o semiárido baiano que foi transformada em política pública durante os governos de Lula e Dilma”, declarou a parlamentar.

Homenageado – Naidison de Quintella Baptista nasceu dia 9 de maio de 1940, em Salvador, é filho de Ângelo Ferreira Baptista e Antonia de Quintella Baptista. Ativista do Movimento de Organização Comunitária (MOC) com formação na Universidade Católica do Salvador em Filosofia, Universidade Gregoriana de Roma e Instituto Litúrgico de Trier, na Alemanha, nas quais concluiu seu Mestrado. Ele é um exímio defensor de uma melhor convivência com a região do semiárido baiano, dedicando-se no enfrentamento das estiagens, garantindo melhor qualidade de vida da população sertaneja. Como representante do MOC, Baptista participou do Seminário Internacional em Mantova-Itália, sobre Adoção de Crianças; Seminário na Holanda, sobre a temática de construção de indicadores para monitorar o desempenho de grupos em políticas públicas e o Seminário “O controle social sobre as políticas de defesa da criança e do adolescente, em São Paulo, numa promoção da Associação Brasileira de ONGs-ABONG.

Fonte: Ascom da deputada estadual Fátima Nunes (PT-BA)

COMPARTILHAR